CORONAVÍRUS uma pandemia que compromete a todos!

Você se perguntou por que hoje estamos falando de uma pandemia global? Este termo é utilizado para descrever uma doença que é facilmente transmitida e capaz de atravessar as fronteiras de muitos países, diferentemente das epidemias, que afetam apenas pessoas que estão no mesmo local

Você se perguntou por que hoje estamos falando de uma pandemia global?

Este termo é utilizado para descrever uma doença que é facilmente transmitida e capaz de atravessar as fronteiras de muitos países, diferentemente das epidemias, que afetam apenas pessoas que estão no mesmo local.

Como é diferente de outras pandemias?
O COVID-19 não é a primeira pandemia a afetar a humanidade, a AIDS, a gripe asiática e a gripe H1N1 são outros exemplos de pandemias que deixaram sua marca, mas o que caracteriza o COV é sua rápida taxa de crescimento, já que cada infectado é capaz de infectar duas ou três pessoas saudáveis. Além disso, seu longo período de incubação permitiu que ele expandisse com grande velocidade, pois as pessoas infectadas não apresentavam sintomas por vários dias, período durante o qual o vírus se disseminou. Somado a isso, a facilidade que temos hoje de estar, em poucas horas, em outro país ou continente, contribuiu para que o vírus afete novas comunidades.

O que acontece com os pets?
A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma após uma extensa pesquisa, que até o momento, não há evidências científicas que comprovem que os nossos pets possam adoecer ou transmitir esse vírus. De fato, eles lembraram que, embora haja um coronavírus que afeta cães e outro que afete os gatos, eles não estão relacionados àquele que afeta as pessoas. No entanto, certas medidas, como: higienizar as patas dos cães ao retornar da caminhada, reduzir a duração delas e minimizar o contato com pessoas doentes, são estratégias que ajudam a reduzir a circulação do vírus.

Como e quem mais afeta?
A doença respiratória causada em humanos é semelhante a um resfriado e apresenta sintomas como febre, coriza, tosse, dor de garganta e dor de cabeça. Embora, quando as condições sejam adequadas, qualquer pessoa possa ficar doente, sabe-se que os idosos e aqueles com algum tipo de doença crônica são mais vulneráveis ​​a condições mais graves.

Como podemos cuidar uns dos outros?
Diante dessa situação, todos os profissionais de saúde trabalham incansavelmente para acabar com essa pandemia, mas cada um pode contribuir para esse controle. Ficar em casa o maior tempo possível é a melhor maneira de permanecer protegido e cuidar da sua família. Além disso, outras recomendações da OMS são:
– Mantenha pelo menos um metro de distância de outras pessoas, principalmente aquelas que tossem, espirram e têm febre, pois o vírus não viaja mais de um metro.
– Evite tocar nos olhos, nariz e boca, pois você pode transferir o vírus presente nas superfícies contaminadas para si mesmo.
– Use produtos à base de álcool (70%) ou água e sabão para higienizar as mãos e, ao fazer isso, dedique o tempo necessário para garantir uma limpeza adequada.
– Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com o cotovelo flexionado, para evitar a dispersão dos aerossóis.
– Se você estiver doente e apresentando sintomas graves, procure atendimento médico.

Se você está sem sintomas, respeite o tempo de quarentena e procure ficar em casa. Contribua para a prevenção dessa doença, porque a saúde é um tesouro que pertence a todos nós e, cuidando-nos com responsabilidade, também cuidamos dos outros.

#cuidemosdetodos